2021 · TOP FINAL DE ANO

As 100 melhores do KPop de 2021 (PARTE 4)

PENULTIMA PARTE MINHA GENTE, finalmente! Eu sei bem que esses posts estão ENORMES e não sei o quanto isso incomoda vocês, mas ao mesmo tempo que eles me deram um trabalho enorme (e muita preguiça pra lutar contra) eu acabei gostando desse formato mais compridinho! Enfim, vamos aos próximos vinte colocados!

40º OH MY GIRL – DUN DUN DANCE

Eu realmente sou suspeita para falar do Oh My Girl nesse ponto da vida. Ao meu ver as meninas tiveram pouquíssimos erros em suas títulos e caras… Dun Dun Dance passa MUITO longe de ser um erro da parte das meninas. Pegando o ritmo mais disco/retrô as meninas entregam uma música simples porém muito gostosinha de se ouvir, com um instrumental bem legalzinho e suave e os vocais maravilhosos do grupo por cima. Claro, eu sinto falta de ver coisas como Closer saindo das mãos do grupo, já que elas sempre lançaram músicas muito boas nesse sentido mais etéreo, mas não reclamo de músicas que são simples e fáceis do público geral egolir como Dun Dun Dance. Às vezes a gente só quer uma música simples e divertida que consegue funcionar por si só.

39º WJSN – YALLA

Eis um grupo que eu sinto falta de ver mais vezes ao ano, mas se esse sacrifício de um comeback do WJSN por ano for em prol de faixas tão boas quanto as desse mini eu vou aceitar sem reclamar. O Unnatural em si foi um ótimo álbum, mas ele ter YALLA, sucessora espiritual de Pantomime, já eleva a obra inteira rapidinho no meu conceito. A faixa tem esse estilo onde várias coisas se misturam e acabam dando certo no final, te levando a uma quase viagem ao longo da duração da faixa. Eu acho extraordinário o WJSN tentar trazer algo nesse nipe e acertar tão bonitinho DE NOVO, com uma música que te passa por vários estágios em diversos momentos dela. YALLA tem todos os mesmos pontos positivos de Pantomime, sendo só um pouco mais fraca que ela.

38º RED VELVET – POSE

SM eu te odeio por me fazer usar um performance stage e não ter o audio de Pose no youtube

Ai eu vou ser a desagradável de sempre e dizer que Pose sim deveria ter sido a título desse comeback do Red Velvet. Sério, existe uma faixa nesse álbum que expresse melhor toda a faceta experimental e maluca do grupo do que ela? Porque eu tenho certeza que sua resposta vai ser não, e se não for você tá errado. O instrumental com esse batidão nos versos (e que abre a faixa já com chave de ouro), os vocais caracteristicos do grupo para o pré refrão, a build incrível para o refrão e o coro em formato de refrão!!!! Gente mais Red Velvet que essa música não dá pra ser e eu ainda acho um desperdício ela ter sido jogada pra ser b-side. Pelo menos ela foi promovida também????? Mas ainda salgada que ela não foi a título em si.

37º WEKI MEKI – WHO AM I

Agora sim a gente volta para minha programação normal onde eu coloco uma b-side do Weki Meki por aqui. Sendo bem sincera, esse mini álbum das meninas está maravilhoso de cabo a rabo (acho que não salvei só uma música dele, o que é uma evolução) e daria pra jogar uma boa variedade de músicas dele por aqui, mas quem ganha seu lugar ao sol é Who Am I. Ela segue o raciocínio que 90% do álbum segue, um eletrônico mais simples que não dói os ouvidos e é uma delicinha tanto para ouvir quanto para dançar. Dá pra perceber um pouco do estilo Vogue meio jogado nas entrelinhas do refrão também e isso que dá o toque vitorioso para essa b-side. Maravilhosa, eu não consegui tirar do replay por algum tempo depois do álbum lançar e olha só, foi promovida também! Mais pontos pro WeMe.

36º FROMIS_9 – WE GO

Toda vez que alguém jura que o fromis_9 vai com deus elas decidem que não e que ainda vão voltar com um bop para abençoar a gente. Sério, eu queria agradecer do fundo do meu coração a pessoa que decidiu dar We Go para as meninas, genial. Ele entra nessa mesma vibe que Feel Good, que traz um amadurecimento sonoro para o grupo, mesmo que ainda não soando como algo extremamente adulto e sóbrio. É uma música divertida para o verão, que foi a época que ela foi lançada, e funciona exatamente como deve. É uma música de levantar o ânimo e também uma daquelas perfeitas para se escutar numa viagem de carro num dia ensolarado. Só espero que a Pledis, onde o grupo se localiza no momento, não decida que dar aquele um comeback depois de pegarem as meninas é o suficiente e elas vão pro porão. Pelo amor, ou eu incendeio aquele lugar.

35º BILLLIE – THE RUMOR

Billlie é o novo grupo da Mystic Story, que além de ter sido adiado umas quinhentas vezes, teve uma escolha de nome um tanto quanto infeliz. De qualquer maneira, eu achei que o grupo começou com bastante força, e as b-sides desse álbum estão ótimas. The Rumor entra aqui em 33º lugar e sinceramente a primeira vez que escutei essa belezinha eu estava de pé dançando e me divertindo com a faixa. Eu não parei para prestar atenção na letra, mas parece que ela é uma introdução ao grupo e sua lore, o que já é bem legal por si só. Ai a gente pega uma batida incrível de fundo e pronto, temos umas ótima b-side. Minha única reclamação, como sempre, é o quão curtinha ela é, ainda mais pensando que é uma música extremamente legal de se ouvir.

34º WJSN THE BLACK – EASY

A Starship estar trabalhando sub units do WJSN era uma coisa que deveria ter começado a ser feito faz algum tempo, principalmente considerando que era é um grupo grande. Ano passado o Chocome já foi uma ótima jogada, mas ninguém estava pronto para as grandes gostosas do grupo debutarem num unit feita para as peitudas metidas. WJSN The Black é uma unit que mirou em uma sonoridade mais madura e sofisticada, e Easy mostra perfeitamente qual era a ideia quando pensaram nessa unit pra início de conversa. É uma música sensual na medida certa, que entrega um instrumental incrivelmente bem feito com os vocais quase gemidos das meninas enfeitando a música perfeitamente. Eu ainda espero ver mais units muito boas do WJSN no ano que vem, mas será que também podemos vê-las como um grupo (quase) completo?

33º TAEMIN – STRINGS

Todo mundo sabe que eu sou uma puxa saco dos infernos do Taemin, e mesmo não tendo curtido muito Advice eu traria uma música dele pra bater cartão por aqui. Strings é exatamente o que eu gosto de ouvir vindo do garoto, uma melodia sensual envolvida pelos vocais maravilhosos do mais novo do SHINee. Sei lá, ainda acho um crime essa faixa estar escondida no álbum que tem Advice como título, mas quem sou eu para ficar batendo na mesma tecla enquanto reclamo né? De qualquer maneira, a música é extremamente envolvente e consegue te levar numa dança lenta e com todos os innuendos possíveis possíveis. Agora eu só quero que o menino Taemin volte logo do exército para lançar mais coisas tanto com o SHINee quanto como solista.

32º JO YURI – GLASSY

Mais uma solista parida diretamente do IZ*ONE para nossas mãos. Eu acho que já comentei isso, mas parece que as empresas aprenderam que se elas não forem manejar direito os grupos debutados com ex integrantes desses grupos que lancem as meninas como solistas mesmo. E esse foi o caso de Jo Yuri e seu debut com Glassy, que nossa eu não esperava NADA e acabei recebendo TUDO. Eu não sei o que tem nessa música, de verdade, mas parece que cada vez que eu escuto ela consegue ficar melhor! E isso vem de uma pessoa que se apaixonou pela faixa logo de cara. O instrumental tem essa tonalidade que realmente faz com que eu pense em cores pastéis enquanto escuto ela, enquanto a voz da Yuri trabalha maravilhosamente nesse tom um pouco mais puxado para o rouco… De verdade, talvez ela seja uma solista na qual estarei de olho no ano que vem depois dessa belezinha

31º PIXY – BEWITCHED

MV da versão em inglês mas tudo o que for dito aqui é sobre a versão coreana

Pixy é um daqueles grupos que começou com tudo dando errado, mas parece que elas começaram a refinar tudo que estava certo nas suas faixas e aos poucos elas estão acertando no que fazem. Eu ainda não consegui ser pega pelas títulos das meninas, mas esse álbum novo das meninas teve umas pérolas muito acima da média, uma delas sendo Bewitched. Ao mesmo tempo que ela carrega esse pesar nos vocais e no instrumental, que trazem uma vibe bem dark em geral para a faixa, tem algo que também é mágico e extremamente interessante nela. Isso é algo que eu vejo que está na proposta do conceito das meninas, com as fadinhas que perderam suas asas, e se Bewitched tivesse sido a título eu teria me rendido facilmente ao grupo. Sério, cada tom nessa música te faz pensar que tudo aqui foi extremamente bem pensado e feito.

30º KEY (FEAT. TAEYEON) – HATE THAT…

Eu sei que sou extremamente suspeita para falar, assim como eu sei que muita gente achou essa música um porre, mas me desculpem eu acho ela MARAVILHOSA. É mais uma daquelas que entra no quesito balada pop, que mesmo que mais lenta ela ainda tem ritmo e algo interessante por trás. Hate That não tem nada a ver com o álbum do qual ela foi pré release, eu até agora fico me perguntando real o que a SM estava pensando quando decidiu usar ela como um quase teaser do que estava por vir. Com isso dito, eu amo essa música de dor de cotovelo por conta de um relacionamento acabado, eu AMO o fato de terem chamado a Taeyeon pra fazer um feat com o Key e acho que a combinação não poderia ser melhor. Se for pra ficar na fossa eu só fico se for com Hate That tocando de fundo.

29º TXT – 0X1=LOVESONG (I KNOW I LOVE YOU)

A música emo que iniciou a fase emo do TXT está aqui para nos abençoar com sua glória. Foi a primeira título dos meninos a funcionar comigo e ela foi um ótimo passo para o grupo seguir uma rota que eu tenho mais interesse que todo o resto da discografia deles. I Know I Love You é também uma música de dor de cotovelo, só que com o twist de ter rock incorporado nela e só isso alavanca ela a um novo nível. Eu realmente gosto muito da adição da Seori aqui, a voz dela adiciona uma leveza muito bem vinda a uma música que parece pesar tanto em sentimentos, e até acho que ela deveria ter aparecido mais vezes ao percorrer da faixa. De qualquer maneira, é uma daquelas músicas que eu volto sempre pra relembrar o quão boa ela é e o quanto eu só quero que o TXT prossiga nesse caminho.

28º TWICE – THE FEELS

Chega a ser engraçado o quanto The Feels tomou conta do meu cérebro desde que ela foi lançada. Parte disso é culpa do viral dela no tiktok? Com certeza, ainda mais que eu decorei a coreografia do refrão disso aqui por osmose do tanto de gente que eu vi dançando ela. The Feels anda nessa corda bamba meio querendo cair nos singles mais coloridos e adocicados do grupo ou querendo ir para uma parte sonora mais nova delas, que funciona melhor do que aquele doce puro que tinhamos. Ela é uma música sem pretensão de se levar a sério, é só uma faixa sobre baile de formatura (algo bem americanizado para o primeiro single americano delas) e sobre se apaixonar. É bobinha mas funciona, sabe? Principalmente pelo fato dela ter abraçado o fato de que quer somente ser divertida.

27º GWSN – E I E I O

GWSN promovendo a agenda de “caçe um macho, mas não do jeito que eles querem” é uma das minhas coisas favoritas nessa faixa, sinceramente a letra disso aqui é fenômenal em vários sentidos (não é a toa que foi uma das faixas desse álbum que tomou censura de alguns canais de TV). Claro, e i e i o não funciona somente por ter uma letra maravilhosa, porque se fosse somente por isso muita coisa era boa automaticamente, mas também ela entrega um instrumental incrível, que narra perfeitamente a história principal da letra. Isso combinado com o fato delas cantarem e i e i o no refrão quase que ironicamente como fazendeiras do mal tentando matar algo é só *chef’s kiss* Ai GWSN sobrevive mais alguns anos ai com a gente, precisamos de mais bops assim…

26º SUNMI – TAIL

Sunmi e seu rabo provaram no início desse ano o quanto a gata ainda tem poder de lançar umas músicas 100% sensuais, como no início de sua carreira solo com coisas como 24 Hours e Full Moon. Tail pega tudo o que dá certo nessas duas músicas e coloca pra jogo, enquanto ela canta sobre… vocês meio que conseguem adivinhar sobre o que só pelo caminhar da carroça tanto em coreografia quanto no clipe. De qualquer maneira, eu não sabia mas sentia falta de ver essa faceta da Sunmi, essa mais séria, adulta, madura e sensual, e ela sabe entregar isso como ninguém, principalmente nessa faixa. Tem algo em Tail que com mais tempo se escutando mais se gosta dela, e eu acho que a Sunmi poderia voltar mais vezes para esse estilo, não sempre, mas às vezes seria ótimo.

25º TRI.BE – WOULD YOU RUN

Eu bem que avisei que TRI.BE aparecia mais uma vez por aqui, só não avisei que seria numa posição bem mais alta. A música que finalmente fez com que eu prestasse atenção no grupo foi, com certeza, Would You Run. Enquanto Rub A Dub é jovial e divertida, essa aqui é quase um soco na cara por conta do instrumental mais forte e marcado, que se assemelha (e muito, mas não tanto quanto o debut do grupo) a batida do funk principalmente nos versos. Mas o que me atraiu de verdade a música foi o primeiro pré refrão, com a desaceleração da música, e então a volta do refrão poderoso e delicioso da música, com vocais que simplesmente te pegam e saem arrastando por ai. Não consigo me cansar de Would You Run e suas reviravoltas, e por isso mesmo ela pega essa colocação.

24º WJSN – UNNATURAL

Depois de eu tanto elogiar YALLA desse álbum é claro que eu não poderia deixar de lado o principal: a título. Não é lá muita surpresa que faz um tempo que eu deito facilmente para os lançamentos do WJSN, principalmente depois do amadurecimento sonoro das meninas. Isso tudo pegou impulso e forma para que Unnatural se tornasse essa obra de arte que ela é. Os vocais das meninas funcionam perfeitamente bem com a faixa, os versos tem essa vibe meio misteriosa mas atrativa para então termos o refrão incrível da música, que inclusive é bem característico do grupo. A faixa é tudo que o WJSN vem servindo, só que elevado a décima potencia e colocando o real potencial das meninas na mesa. Se o WJSN continuar nesse caminho vai ser só sucesso atrás de sucesso.

23º TAEYEON – WHAT DO I CALL YOU

A primeira e única música de 2019 que aparece por aqui, e tinha que ser da Taeyeon né? Se vocês lembram, ela saiu logo após a semana que eu terminei de pegar as músicas para o top (primeira semana de dezembro, se não me engano) e infelizmente não fez parte do top do ano passado, mas eu não poderia deixar de colocar What Do I Call You por aqui, ainda mais depois que ela se tornou uma das minhas favoritas da Taeyeon. Num geral essa música é bem lugar comum e safe para Taeyeon, mas ela entrega tão lindamente os vocais nessa faixa, cada momento, cada entonação e até os momentos que ela nem respira de uma frase para outra da música. São os vocais da nossa véia favorita que fazem essa música ter tanta força pra mim, e eu ainda adoro (e muito) What Do I Call You.

22º AESPA – LUCID DREAM

Mais aespa, se alguém reclamar vou ser obrigada a cair no soco. É que não tem como, esse ano foi o ano para eu cair de amores pelo novo girl group da SM. E claro, o mini álbum de Savage foi muito bom, eu já falei isso, eu tenho uma adoração tremenda por cada música disso aqui. E a que aparece dessa vez é, nada mais nada menos, que a segunda favorita do público desse mini álbum, Lucid Dream. Essa é a música mais lentinha do álbum, com uma tonalidade mais puxada para um R&B um pouco sensual, onde as meninas entregam um trabalho que se assemelha um pouco mais ao Red Velvet do começo de carreira que ainda se preocupava em separar seus conceitos. A faixa é extremamente interessante e facilmente minha b-side favorita das meninas.

21º DREAMCATCHER – BECAUSE

Dreamcatcher batendo cartão aqui de novo, vamos lá gente vocês podem fingir surpresa nesse exato momento. Após finalizarem a trilogia Dystopia, eu estava bem ansiosa para o que as meninas trariam para a roda. Eu só não esperava um álbum especial de verão que me daria uma leve taquicardia com os teasers mais cheios de roupas brancas e até quase inocência. Pelo menos no DC podemos confiar e BEcause acabou sendo uma faixa que remete bastante o começo do grupo, quando elas ainda tinha um conceito de terror bem proeminente enquanto contavam a história dos sete pesadelos. Além do clipe cheio de referências, a música também tem algumas referências sonoras a filmes de terror que são bem bacanas. Me apaixonei por BEcause na primeira escutada e acho que todo mundo deveria dar uma chance para ela e a sonoridade mais próxima do debut do grupo.

Chegamos ao final dessa penultima parte com chave de ouro e Dreamcatcher fechando o top 40-21. Agora falta só mais uma parte e estaremos finalizando esse top. Para a quinta e última parte quais são as expectativas? Qual seria o seu top 20-1? Veremos o meu amanhã, até lá!

Outras partes: [100-81] [80-61] [60-41] [40-21] [20-1]

8 comentários em “As 100 melhores do KPop de 2021 (PARTE 4)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s