2021 · TOP FINAL DE ANO

As 100 melhores do KPop de 2021 (PARTE 3)

É minha gente, chegamos a terceira parte do nosso top anual, esse ano virado para finalmente termos 100 músicas por aqui. Uma decisão que quase que me atropela, ainda mais nesse ano, ainda mais com uma playlist que acabou ficando tão pequena quanto a minha esse ano. De qualquer maneira, chegamos a metade do top e agora finalmente a coisa afunila e vamos para as melhores das melhores. Estão prontas crianças?

60º EUNBI – DOOR

Eu lembro claramente que no meu post sobre essa música eu disse que tinha achado ela boa, mas não tinha tanta certeza de como me sentia sobre ela. Acabou indo para a playlist e, alguns dias depois, eu acabei gostando bastante da obra por inteiro. Eunbi, ex-IZ*ONE teve seu debut solo esse ano, depois do grupo bater as botas e os fãs fazerem um drama tão grande para que elas continuassem que eu torci com todas as minhas forças que não acontecesse (oops). E isso foi para o melhor, além de IVE, que teve um ótimo debut como grupo (e a Starship parece saber lidar com seus grupos pós produce), a Eunbi trouxe um debut gostosinho de se ouvir, que beira algo que a IU lançaria mas consegue ser melhor. É uma música bem arroz e feijão, mas é uma faixa bem bacana de se ouvir.

59º ADORA (FEAT. EUNHA) – MAKE U DANCE

O disband extremamente inesperado do GFriend esse ano foi um baque enorme, principalmente para a fanbase delas mas também pra muita gente que acompanhava por fora. E, para quem não conhecia, ADORA também fazia parte da Hybe, sendo uma produtora da empresa. Pegamos duas pessoas que bateram perna daquele lugar, botamos numa música com um tom fofo porém meio creepy e BAM, ela funciona nem que seja na base do soco. Comigo, entretanto, foi um pouco mais natural a coisa toda, onde Make U Dance me captou logo na primeira vez que escutei e conseguiu crescer mais ainda em mim com o passar das escutadas. É uma música que eu acho que poderia ter mais tempo, mas sinceramente ela funciona muito bem assim, do jeitinho que está.

58º OH MY GIRL – MY DOLL

eu nem tinha visto que saiu um “vídeo especial” para My Doll, oof

Oh My Girl agora se acostumou com a fama e está fazendo um comeback por ano, onde elas aproveitam uma boa hype vinda de geral que acompanha o grupo. Esse ano elas decidiram vir com um álbum cheio de b-sides mais chill e tranquilinhas, diferente da fofura que foi no ano passado e a monstruosidade que Dolphin se tornou. Eu realmente gostei bastante dessa pegada mais balada pop do grupo e My Doll é um ótimo exemplo do que funcionou comigo nesse quesito. É uma música com ritmo, uma exploração extremamente interessante dos vocais e um refrão que me arrepia até hoje escutando, mesmo que ela ainda seja um pouco mais lentinha. É um álbum que não funcionou pra muita gente mas que ainda está entre meus favoritos nesse ano.

57º CHERRY BULLET – LOVE SO SWEET

Cherry Bullet passou por uns perrengues do ano passado pra esse, onde tudo pareceu dar muito errado para o grupo. E foi no meio do caos que nasceu a melhor título do grupo até hoje: Love So Sweet. É uma música com um certo teor de açúcar mas que não chega ser a diabetes em formato de release. Uma faixa extremamente divertida e gostosa de se ouvir, e que poderia ser facilmente um som que o grupo poderia seguir após meio que largar de mão a temática de video game delas. Agora é esperar pra ver se a sucesso da Bora no GP999 vai servir de alguma coisa para o crescimento do grupo no ano que vem. Isso é se a FNC sequer se importar em dar um comeback pra elas assim que possível. Vejamos, né?

56º NU’EST – INSIDE OUT

Nu’est é outro grupo que aparece de vez em quando e acaba impressionando a gente, né? Pelo menos é minha impressão, onde eles entregam pelo menos uma faixa agradável toda vez que voltam. Isso se encaixa perfeitamente no caso Inside Out, comeback do grupo nesse ano. Ela não reinventa a roda, mas mira em algo que a gente não vê sendo muito utilizado por boygroups, principalmente pensando que 90% deles ainda está muito apegado a faixas exageradas e sem graça. Isso torna Inside Out uma faixa leve e deliciosa de se ouvir, que entrega principalmente vocais maravilhosos e um refrão ÓTIMO. É aquilo, eu talvez volte a gostar mais de boygroups se eles voltarem a mirar em algo assim ao invés dos barulhos que andam saindo.

55º SUNMI – YOU CAN’T SIT WITH US

You Can’t Sit With Us é uma faixa que me traz dois sentimentos: hora de levantar e dançar E “meu deus quem foi que escreveu essa porcaria?” Não é muito segredo que se tivesse uma premiação para faixas com letras vergonha alheia Sunmi provavelmente estaria concorrendo com essa faixa, mas isso não tira o mérito dela ser uma ÓTIMA faixa da gata né? A parte de rap é ruim? Com certeza! Mas mesmo assim ela acaba te engolindo por ser justamente PÉSSIMA e tu acaba curtindo. A letra é horrenda? SIM! Mas ao mesmo tempo você tá lá cantando e dançando essa porcaria. Sunmi conseguiu comercializar e fazer funcionar uma faixa que é extremamente duvidosa, e eu acho isso até poderoso da parte dela. Espero que se for pra lançar uns trecos assim que seja nesse nipe, que é um ruim MUITO BOM.

54º HEIZE (FEAT. AHN YE EUN) – FROM THE RAIN

Quando eu disse que tinha uma quedinha tamanho família por músicas com elementos tradicionais eu quis dizer até músicas mais lentas, viram? Então a primeira vez que escutei esse mini da Heize eu fiquei de cara com From the Rain e qualidade da coisa toda. Eu já tenho meus elogios a voz doce da Heize, mas a escolha do feat pra essa aqui foi PERFEITO, com Ahn Yeeun entregando vocais perfeitos para uma música com uma tonalidade mais tradicional. Ela só se encaixa maravilhosamente ali e no momento que ela abre a boca a coisa toda ganha uma nova coloração e… Nossa eu fico sem palavras até hoje pra essa música. Eu sou cadelinhas de músicas asiáticas com perfil tradicional, mas essa aqui elevou tudo o que eu sinto sobre a um novo nível.

53º YUKIKA – INSOMNIA

Insomnia é uma música um tanto pessoal sobre a Yukika e toda a estrada dela como cantora fora de seu país de origem. Por si só a letra dessa música já te leva nisso, combinado com um clipe que também funciona nesse mesmo quesito… Eu realmente nem tenho tantas palavras pra descrever o quão genial ela foi nessa aqui. E, claro, a música em si que é aquilo que eu já disse: Yukika sempre segue de mão dadas com o citypop, é a marca dela e o que funciona e combina com ela num contexto geral, mas sempre tem um toque novo, pode ser nos vocais ou no instrumental. Insomnia é uma música que segura uma certa melancolia, mas ao mesmo tempo é uma faixa bonitinha demais e que segura nela em todos os quesitos.

52º RED VELVET – QUEENDOM

O aguardado comeback do Red Velvet após mais de um ano e meio de hiatus do grupo foi… underwhelming. Mas, mesmo com essa sensação de “tanta espera pra… isso?” a faixa não deixa de ser ótima e extremamente aproveitável. Queendom tem um toque meio mágico nela (coisa que até aparece no clipe dela) e eu gosto do quão upzinha ela é, sendo uma daquelas faixas fáceis de se gostar e que com certeza acabam indo para a playlist de muitos sem muito esforço. Eu poderia encher Queendom de elogios, a música é ótima e funciona muito bem com o Red Velvet, mas ao mesmo tempo que ela é boa ela decaí um pouco no meu top justamente porque minha hype com o RV morreu com força. Isso combinado com o fato que não era a faixa poderosa que todos esperavamos… Yup, 52º lugar fica perfeito pra ela.

51º ROCKET PUNCH – RING RING

Rocket Punch deu uma sumida esse ano, ainda mais quando se para pensar no que foi o ano passado das meninas, onde elas começaram muito bem e depois foi um treco meio… triste. De qualquer maneira, quando Ring Ring foi anunciada eu fiquei bem animadinha e acabou sendo justificado: a música ótima. Ela não só bebe do estilo mais retrô possível, mas como se afoga nele, caiu de cabeça e tá enfiada até o talo no melhor disso. É uma daquelas músicas que a gente pode não voltar sempre, mas toda vez que ela toca chega a dar uma animação tamanho família na gente. Sei lá, eu acho essa música muito up e geralmente escutar ela me dá um ânimo muito grande. Mas é aquilo, é uma daquelas que se você se arriscar a escutar muitas vezes pode enjoar.

50º BOL4 – BUTTERFLY

“Bruna, mas isso aqui não é música de cafeteria?” É, SIM, SHHHH, DEIXA EU EXPLICAR. Bol4 é uma coisa que eu meio que esqueço que existe, ai relembro quando sai uma coisa muito acima da média para depois esquecer de novo. E foi isso que aconteceu com Butterfly Effect, que é sim uma música de cafeteria mas que está MUITO acima da média da sua música de cafeteria comum. Um dos pontos que eu mais gosto na faixa é o quão dark e sóbria ela soa. Tem algo nela que é obscuro, tanto nos vocais quanto no instrumental, que carregam esse sentimento pesado que se passa perfeitamente para você a cada momento da música. Eu tive uma conexão instantânea com ela no exato momento que ouvi e ela ainda se conecta bastante comigo. Ah se Bol4 lançasse mais coisa assim…

49º CHUNGHA – FLYING ON FAITH

O tanto que eu puxei o saco dessa b-side do Querencia não tá escrito, eu peço perdão para você me viu falando sobre essa música umas 1000 vezes, de verdade eu não calei a boca sobre essa faixa por NENHUM momento. Flying on Faith é uma daquelas músicas que te prendem por completo, desde o toque de guitarra sozinho nos versos da música que aos poucos vai sendo complementado por outros pontos do instrumental até o momento que a faixa finalmente decide te dar um belo de um soco com a construção completa no refrão. Sei lá, tem algo nessa coisa toda e o jeito que a Chungha entrega essa música que me vende ela por completo. De b-sides do Querencia foi a mais marcante e uma das minhas mais tocadas.

48º DREAMNOTE – GHOST

DreamNote foi outro grupo que deu uma sumida forte do mapa para depois vir com uma música meio chute no peito. Nesse caso não só elas escolheram um treco chute no peito mas também decidiram vir com algo para o Halloween. E vocês sabem como eu sou vendida a temáticas de terror em lançamentos de KPop né? Ghost é uma música extremamente interessante, principalmente quando se fala de vocais. Tem algo nos agudos meio uivados das meninas que trazem a atmosfera correta para essa música e te jogam exatamente onde elas querem com isso. É uma faixa extremamente forte para o grupo, o medo é só ser o que rolou com o Nature e ela sumirem de vez da face da terra depois de um lançamento de terror bom.

47º STAYC – STEREOTYPE

Eu já comentei como o STAYC aconteceu esse ano né? Fizeram o nome delas na Coreia com essas faixas com um tom mais adocicado mas que sabem equilibrar todos os pontos nela. Stereotype foi a música que trouxe o primeiro win para o grupo que com certeza foi merecido somente pelo fato delas decidirem ir contra a maré de girl crush bate lata e conseguir emplacar com canções mais agradáveis como essa. É uma pena elas terem perdido a sonoridade de So bad, mas se está dando certo pra elas e ainda me agradando não existem reclamações. Na verdade somente elogios a Stereotype, que é uma canção divertida, jovial e extremamente interessante. Só não foi o lançamento mais interessante delas do ano, mas foi um bom lançamento.

46º SF9 – TRAUMA

SF9 nunca falha em entregar pelo menos um lançamento extremamente agradável por ano né? Ano passado eles apareceram umas 2/3 vezes no meu top 50 e esse ano eles marcam presença DE NOVO. Eu geralmente acompanho os lançamentos dos meninos de longe, principalmente porque eu sei que posso esperar algo MUITO bom vindo deles, e foi isso que rolou com Trauma. O instrumental é perfeito, com essa batida no refrão de fundo que parece uma sirene abafada, o passar dos versos em cada momento da música onde ele se encaixa lindamente e pré refrão incrível. Isso, claro, sem contar com os vocais inebriantes que são entregues na música. Sinceramente o SF9 se tornou um daqueles grupos que se não bater cartão nos meus tops pelo menos uma vez eu vou achar que eu fiz algo errado e não eles.

45º WEKI MEKI – SIESTA

Agora saímos de um grupo que geralmente aparece por aqui para um grupo que NUNCA emplacou nenhum título delas nos meus tops. A novidade desse ano por aqui é a aparição do Weki Meki, um grupo com o qual eu sempre tive um relacionamento de amor e ódio, onde eu odiava as músicas títulos mas ficava na moita ouvindo alguma b-side muito boa delas. Depois de um tempo no porão da Fantagio devem ter pensado “cara, agora a gente tem que fazer tudo por elas em uma música ou desistir” e foi nessa que Siesta nasceu. É um eletrônico muito simplezinho que te dá aquela sensação de nostalgia a cada tomzinho da música. É uma faixa extremamente simples, mas que funciona muito bem e entrega o melhor que o WeMe pode entregar. Agora é esperar que não deem disbando no grupo para manterem essa qualidade né?

44º TXT – LO$ER=LO♡ER

TXT também é outra surpresa nesse top desse ano, os irmãozinhos do BTS que depois de passarem por sua fase de crianços agora são adolescentes emo frágeis que cantam sobre como amor machuca enquanto usam franja comprida em cima do olho. E isso está vindo de uma pessoa que passou uma adolescência inteira sendo a maior fã do My Chemical Romance, então vocês acham que eu não iria adorar essa fase emo deles? Loser = Lover é uma música que pega exatamente esse sentimento mais cheio de raiva e dor de um emo e coloca pra funcionar numa música que se abraça no estilo com força. Sério eu NUNCA imaginaria que veria esse grupo seguindo esse caminho e estou seriamente feliz de ver isso acontecendo. Que eles prossigam nessa rota ano que vem, assim posso aproveitar mais músicas deles.

43º AESPA – YEPPI YEPPI

Primeira aparição do aespa no meu top e notem que eu estou me referindo como primeira pra deixar vocês bem preparados para o que vem mais pra frente. As meninas dão as caras por aqui a primeira vez com uma b-side do seu primeiro mini que foi lançado esse ano e que sinceramente está *chef’s kiss*. Dá pra socar tantos elogios no Savage que seria cansativo me ouvir falando sobre, então vamos direto a nossa 43º colocada: Yeppi Yeppi. Essa faixa me dá a impressão de algo que eu veria o f(x) lançando no alto de sua carreira (na real aespa em si me dá muitas vibes de f(x) mas nem vou entrar nesse mérito) e eu realmente gosto do quanto essa música explora outro lado das meninas, algo mais animado e fácil de se ouvir. É o tipo de música que quem não curte o som do aespa em suas títulos provavelmente estaria dizendo “mAS POR QUE DIABOS ISSO NÃO É A TÍTULO?” e mesmo discordando, eu entendo, a música é muito boa mesmo.

42º BIBI – BAD SAD AND MAD

Esse aqui foi o dia que a BIBI testou minha paciência com ela, tanto no quesito lançamento quanto no quesito MV. Primeiro que Bad Sad and Mad já é uma música muito curtinha, precisava cortar ela mais ainda pra fazer um clipe minha senhora? Porque eu achei um desperdício. Sobre a faixa, de primeira eu não fui a maior fã dela, tinha alguma coisa que me causou estranhamento na produção dela e fez com que eu ficasse longe dela por um tempo. Até que um dia eu resolvi dar outra chance e BAM deitei pra ela rapidinho. Tem algo na analogia com BDSM, o jeito que o instrumental te consome por completo e a maneira que a BIBI entrega os vocais nela que fazem com que Bad Sad and Mad seja uma ótima obra. Uma pena ser curtinha, mas ainda é ótima.

41º ENHYPEN – DRUNK-DAZED

E para finalizar a terceira parte do nosso top 100, nada mais nada menos que os meninos do Enhypen fingindo ficar bêbados com shot de guaraná em Drunk-Dazed. Eu acho que eles e TXT se encaixam perfeitamente no quesito de boygroup que logo de cara não fez nada por mim mas que esse ano decidiram tomar uma direção artística que foi simplesmente uma ideia genial. Enquanto TXT virou emo, o Enhypen decidiu que queria fazer a fama nas baladinhas eletrônicas! E Drunk-Dazed é exatamente isso, uma farofa muito da bem feita com tudo que tem de certo para uma farofa desse nipe funcionar. O refrão prontíssimo pra se ficar fritando por cima, o instrumental que realmente te faz sentir bêbado… Sério, genial, outro grupo que quero que continue fazendo mais disso no ano que vem.

E finalmente finalizamos a parte 3, a oficial metadinha do top. Com mais da metade das músicas agora fora do caminho eu posso dizer com certeza que fazer um top 100 é uma experiência interessante e cansativa demais para uma pessoa só. De qualquer maneira, amanhã teremos a quarta e penúltima parte do nosso top. Temos alguma aposta para as próximas 20 posições?

Outras partes: [100-81] [80-61] [60-41] [40-21] [20-1]

15 comentários em “As 100 melhores do KPop de 2021 (PARTE 3)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s