Música por Música

MÚSICA POR MÚSICA – Don’t Call Me

Fala ai minha galerinha que quase que morre de desgosto após ouvir a título do álbum que vou comentar hoje, tudo certinho? Pois bem, cá estamos com mais uma música por música que tá até que movimentado esse ano, já meti 3 desse quase um atrás do outro, estou em chamas! Enfim, hoje é dia de falar do full álbum do meu grupo masculino favorito, o SHINee, que voltou depois de um enorme hiatus e antes de mais um tempo de hiatus por conta do alistamento do Taemin. Eu tava morrendo de saudade deles e, mesmo depois daquela coisa que chamaram de título eu já fui direto pro álbum ver o que os meninos trariam de bom a mesa. Peguem na minha mãozinha, separem a pipoquinha e vamos ver o que achei do Don’t Call Me.

DON’T CALL ME

Já falei na introdução, já falei no post solo sobre ela… Don’t Call Me é o desgosto mais desgostoso que já senti na minha vida todinha. Não é péssima porque é ainda entregue pelos vocais do SHINee mas é ainda um descarte de um grupo aleatório da SM que usa dessa mesma sonoridade todo santo comeback e eu já to sem paciência pra mais do mesmo. Preferia mil vezes até uma Replay 2.0 (que eu também não gosto) do que isso aqui.

HEART ATTACK

Mas graças a Deus que a música a abrir as b-sides já mostra que a sonoridade de Don’t Call Me não reaparece em nenhum momento do resto do álbum, pra minha tranquilidade emocional. Heart Attack poderia muito bem ter aparecido no 1 of 1, o instrumental dela me lembra bastante algumas coisas de um dos melhores álbum do grupo. Ela flerta com um disco, meio retrô mas não 100% e é uma ótima música, bem a cara do que eu veria o SHINee entregando antes da SM endoidar e decidir que queria tudo sendo SuperM em questão de som. Inclusive os vocais do grupo combinam muito bem com essa sonoridade e dão uma vida a mais pra ela. Heart Attack poderia muito bem ter sido a pORRA DA TÍTULO. Único defeito é ela ser super curtinha, mas desconsidero por ser muito, mas muito boa.

MARRY YOU

Garota eu quero casar contigo aqui e agora, é mais uma música muito boa e superior a Don’t Call Me (eu não vou calar a boca sobre isso, me perdoem). Ela é um teco mais lentinha, mas não é uma baladinha, na real ela passa bem longe disso. É uma música que cai naquele canto mais bonitinho do Shinee, não fofo como Colorful (b-side do Everybody), mas uma coisa mais… eu não sei descrever? É aquelas músicas que tocaria num casamento mesmo pro casalzinho apaixonado chamar de música deles, se é que isso faz sentido. Ela inclusive foi apresentada no The Ringtone: SHINee is Back, como um puta spoiler do álbum que eu não escutei até ele sair, mas deixo ai pra vocês a performance super bonitinha dos meninos da música bonitinha.

CØDE

Agora falando muito sério, essa aqui poderia facilmente ter sido a título oficial do álbum. Heart Attack tem mais a cara do grupo em sua era retrô e funcionaria bem num 1 of 1, mas eu realmente vejo CØDE sendo uma título oficial pros meninos pra esse álbum. Ela começa com Key e Minho entregando um rap pra assustar você sobre isso aqui ser mais um try hard, mas no momento que o instrumental de verdade entra junto com os vocais do Taemin e Onew… meus colegas isso aqui toma uma força tão grande e arrebata todo mundo. Lembra sobre Taemin comentar que Don’t Call Me lembrava ele de Sherlock? Acho que ele confundiu a título real com essa aqui (que vai ser minha título espiritual pra esse álbum), porque ela me leva pros mesmos lugares que Sherlock me levou. Vocais ótimos, um instrumental maravilhoso, com uma construção de versos e refrão extremamente bem feita, CØDE é a minha favorita do álbum com toda a certeza do mundo.

I REALLY WANT YOU

SHINee olhou pra mim e disse “quer mais música boa? Pois bem, toma” e eu recebi I Really Want You. Essa aqui é uma música mais divertida e descontraída, que provavelmente você escutaria enquanto jogar um volei de praia com seus amigos num dia ensolarado. É uma música super dançante e animada, com um instrumental bem pra cima e a linha de vocais segue isso também. Não se engane com os meninos falando no começo dela, ela segue mais ou menos a linha de crescimento de CØDE nesse ponto (que pode ser a razão dela também ser minha favorita no álbum). Ótima música, sem defeitos, eu não consigo acreditar que tudo até agora é melhor que a título…

KISS KISS

Se eu pudesse descrever Kiss Kiss em uma palavra seria: funky. Ela tem essa pegada bem funky no instrumental dela, com uma batida bem marcadinha e efetiva. O instrumental é o ponto mais forte dessa música (mesmo que seja SHINee cantando e eles geralmente entregam tudo em vocais ótimos), eu gosto muito de como baixo está proeminente nela e marca cada passo dos instrumentos. É outra música bem característica do grupo, se eu for ser bem honesta, mas essa tem mais cara de uma b-side normal deles. Eu realmente gosto de todo o flow da música, ela é bem gostosa de ouvir e o refrão é bem grudento também, o que ajuda ela com um fator replay.

BODY RHYTHM

Body Rhythm é mais uma música mais dançante do grupo, e eu sinceramente achei ela bem a cara do Taemin pra ser bem direta (principalmente, parece uma b-side que ele teria em um álbum japonês dele). Ela é uma mescla de reggae com algum outro som que eu não sei identificar (acho que já perceberam que sou péssima com isso) que faz com que seja uma música bem gostosa de ouvir, e eu acho que repeti esse elogio mais de uma vez nessa review. Amo o refrão dela, os vocais fazem o céu e o inferno nisso aqui de tão bom de escutar que é.

ATTENTION

Essa aqui foi a primeira que fiquei em dúvida se salvava ou não. A música começa com assobios como base instrumental, mas depois eles são substituidos por um sintetizador que mantém o ritmo deles pela música e vai construindo em cima disso. Eu achei esse ponto bem interessante da música, é um instrumental super bem pensadinho. O que me afasta um pouco mais dela são alguns pontos vocais no refrão, mas não é algo horrível, na verdade é só eu sendo chata mesmo. No fim das contas Attention é hiper agradável de se ouvir e, sim, eu acabei salvando ela na cara dura mesmo pra ver se ela vingava na minha playlist.

KIND

É a primeira e única baladinha do álbum, e é ela que fecha o Don’t Call Me. Eu geralmente não sou a maior fã de baladinhas porque geralmente elas não fazem muito por mim, mas dependendo dos vocais e construção instrumental eu acabo me entregando a ela. Isso acontece muito com o SHINee, eu tenho o costume de acabar gostando muito das baladas deles por conta de vocais lindíssimos e geralmente o instrumental é algo muito, mas muito bem feito. Kind entra nessa categoria, gosto muito dos vocais nela e o instrumental é lindíssimo. Realmente, uma baladinha super bonita de se ouvir.

NOTA FINAL DO ÁLBUM: 9,8/10

Quando falamos de b-sides, e somente delas, SHINee fez um incrível trabalho nesse álbum. Ele é como se fosse um compilado de sonoridades que o grupo já fez com maestria e está trazendo a vida novamente pra mostrar que eles são mestres dentro de diversos estilos. E, mesmo sendo um álbum que aborda diferentes tipos de música, ele ainda assim é entregue de forma coesa onde sim, faz muito sentido escutá-lo na ordem em que foi entregue. E claro, caso jogado numa playlist no aleatório as músicas ainda tem seu brilho próprio e conseguem ter sua própria força. Eu completamente adorei TODAS as b-sides, sem tirar nem por de nenhuma delas, e o grande e maior erro nesse álbum é, como vocês já entenderam pelo desenrolar dessa review: a título Don’t Call Me. Eu até entendo a SM tentar agradar o fandom que o SuperM trouxe ao Taemin (mas não aceito, o que é diferente), que particularmente engole essa sonoridade com tranquilidade, mas desqualificar tantas músicas boas pra serem b-side e colocar a pior como a face do álbum é um tiro no próprio pé, além de um tiro na imagem sonora que o próprio SHINee levou anos e anos pra construir.

Eu fico feliz do SHINee ter entregue um trabalho tão bom nas b-sides desse álbum, num ponto onde eu consigo ignorar completamente a existência da título de péssimo gosto. Além de que, fico feliz dos meninos estarem juntos de novo (e dá pra ver neles que estão hiper felizes de estarem trabalhando em grupo novamente). Don’t Call Me é um ótimo álbum que vale MUITO a pena parar pra escutar. Enfim, nos vemos na próxima review!

Beijineos de luz~

8 comentários em “MÚSICA POR MÚSICA – Don’t Call Me

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s